quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Bela discussão entre o Manuel Serrão e o Eduardo Barroso!


        É tão bom sinal quando, um sócio do Porto e um sócio do Sporting, começam a discutir sobre quem fica em segundo e quem é que ganha menos!



video

     
 P.s: Peço desculpa pela qualidade do vídeo, sou mesmo fraquinho nas novas tecnologias. Mas também não se perde muito, penso que ninguém vive obcecado pelas caras do Manuel Serrão e do Eduardo Barroso em HD...



terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Está mesmo muito frio na zona do dragão

Para recordar o grande Markovic, que recomendou à equipa do Benfica que regressasse rapidamente do Porto porque estava muito frio (-6º), fui buscar alguns textos desta malta azul que escreve na internet (tenham calma, ao Miguel Sousa Tavares responde o especialista Ricardo Araújo Pereira)

os portistas podem queixar-se do artista do apito e das várias oportunidades escandalosamente perdidas. Os marroquinos foram à baliza portista e fizeram dois golos. - o artista do apito não só não é marroquino como veio directamente do vosso contumil meu caro! Mas olha, queixares-te de um dos teus faz lembrar as discussões de irmãos, que acabam a chamar impropérios à sua própria mãe

Jorge Sousa conforme previ (excesso de zelo) foi muito rigoroso para com os jogadores azuis e brancos e muito tolerante para com os encarnados que se fartaram de dar pancada em Brahimi e até Jackson…! Jardel e companhia fartaram-se de rasteirar, empurrar, etc… tudo servia para descontrolar, desestabilizar o adversário. Por outro lado os jogadores benfiquistas mal se sentiam pressionados, era certo e sabido, que se atiravam para a piscina e ficavam a exigir ao árbitro a marcação da falta. Com um árbitro estrangeiro seria advertidos com a respectiva cartolina amarela por pressionarem o juiz do apito. - Realmente o árbitro foi mesmo artista, imaginem, foi capaz de não dar amarelos depois de levarem fruta... realmente este nosso amigo deve ter começado a ver futebol com o grande José Pratas

possivelmente, por abaixamento físico, ou má visão estratégica, não conseguiu dar uma resposta condigna à altura do adversário - bem, mas o mesmo tipo que se queixa acima sem querer acabou por nos elogiar... meu amigo, além de fanático parece-me que te falta um pouco de inteligência, pelo menos tenta ser fanático até ao fim, tipo aqueles malucos que vêem que a estrada acaba e vão pela ribanceira abaixo... acho que todos ganhávamos!

Há muitos anos que eu não via o Benfica no Dragão a queimar tempo como ontem se viu, com os jogadores a atirarem-se para o chão e a forçar a entrada da equipa médica. Só na pretensa lesão do Luisão perdeu-se uns 4 ou 5 minutos de jogo, (...) Mas pior do que isso foi o que aconteceu já em tempo de descontos, quando Jesus procedeu à terceira substituição com o claro intuito de queimar mais uns segundos. Agir desta forma a poucos minutos do final da partida e a ganhar por 2-0 não é digno de um campeão, é atitude típica de uma equipa pequena. A lesão do Luisão é tão pretensa como a lesão da tua e da cabeça do amigo anterior. Ah, e pedimos desculpa por fazer (coisa que ninguém faz) as substituições permitidas, e impedir-vos de nesses poucos minutos marcarem 3 ou 4 golos!

Agora alucinado alucinado é mesmo o treinador!

Lopetegui: «Mais do que nunca, acredito que vamos ser campeões»

Pela imagem abaixo pensei que primeira vez tivessem tido fair-play, mas já vi que não... azar, treinador frio, jogadores frios, adeptos frios, está tanto frio!!!


domingo, 14 de dezembro de 2014

Vamos lá "cavar" a vantagem de 6 pontos!


   Confio, plenamente, que iremos conseguir um bom resultado o Dragão. A nossa experiência acumulada dos nossos jogadores e treinador em clássicos, é um ponto importantíssimo.
    Depois será aproveitar as debilidades defensivas do Porto, defesa muito subida, mas com pouca propensão para deixar os adversários fora-de-jogo, a forma deficiente como defendem as bolas paradas e depois o meio campo pouco musculado e não tão compacto como se apregoa.
 



     Afinal, já lá ganhamos por dois golos de diferença, a uma equipa do Porto (talvez, não em termos de plantel) superior a esta.