quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Não somos um clube de vitórias morais. Que venha 2016!








Que 2016, tenha no mínimo tantas vitórias. É que, por vezes, com tanto barulho, parece que nos esquecemos de quanto vencemos em 2015. Claramente, o melhor clube português, no passado, no presente e para o futuro. Que venha 2016!! 



                                     


terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Este tornou-se o mês mais negro da gestão Vieira

O acordo com a NOS foi um mau negócio. O facto é que ficámos a receber, mais coisa menos coisa, valores semelhantes ao Porto e ao Sporting. Isto quando a nossa marca é mais valiosa que a dos dois rivais.

Não conseguímos manter os rivais a 80% ou 70% do nosso valor, que era o mínimo que se exigia! Porque mais do que receber 40 M€ por época, o importante é o diferencial para os adversários, a vantagem competitiva perante eles.

De que serve receber mais 10M€ ou 20M€ quando os outros também vão receber? Muito pouco! Na realidade perdemos a vantagem competitiva de receber mais que os outros! Vamos ter um sporting com orçamentos mais perto dos nossos que nos últimos anos, assim como o porto poderá ver invertida a sua trajectória de insustentabilidade.

Percebam, todos recebermos mais serviria para aumentar as hipóteses na Champions ou a visibilidade do campeonato. Mas todos sabemos que a visibilidade do campeonato não pode ser melhorada assim, com todos os restantes clubes a receber 2-3-5M€ de transmissões televisivas. E também sabemos que esses 40M€ são insignificantes ao pé dos tubarões da Europa.

As hipóteses de um clube ser campeão estão directamente relacionadas com o seu orçamento. Este mês, menosprezaram a grandeza do nosso clube. A partir de hoje tornou-se mais difícil o Benfica ser campeão consistentemente.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Desejo de Feliz Natal e a minha sugestão para presente!


    Aqui do Blog desejamos um Feliz Natal à nação benfiquista.




    E, já agora, aproveito para deixar uma sugestão para um presente da Direcção aos adeptos.



quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

"Qualquer treinador que vá para o Benfica, arrisca-se sempre a ser campeão."


Esta frase foi proferida pelo grande Mário Wilson, na década de 70. De facto, entre 1960 e 1979, Sport Lisboa e Benfica sagrou-se campeão por treze ocasiões. Sendo um total dominador do futebol português e do futebol internacional.
A actual Direcção convenceu-se, após os últimos seis anos, porque o Benfica voltou a ser o clube mais vitorioso em Portugal e com melhores resultados nas competições europeias (duas finais, uma meia-final e dois quartos-de-final), que a máxima introduzida pelo primeiro treinador português a vencer um campeonato pelo Benfica, na época de 75-76, seria novamente uma realidade.



 Hoje duvido que exista alguém na Direcção que não perceba que essa presunção foi um erro e não assuma, pelo menos, internamente que foi apressada. Não obstante, o trabalho brilhante em termos de infraestruturas, em termos da formação, nas modalidades e a maximização das receitas que são ímpares no nosso País e que sem dúvida permitem olhar para o panorama nacional e compreender que somos o clube com mais possibilidades e condições para voltar a dominar o futebol português, todos estes factores não são, por si, garantia de resultados e de títulos.
Num País dividido, desportivamente, entre benfiquistas e anti-benfiquistas, com três jornais desportivos e com programas opinativos sobre desporto a ritmo diário, vencer um campeonato pelo Benfica é dificílimo, porque é muito mais fácil errar, ainda que inconscientemente, a favor dos nossos rivais do que a nosso favor. Por vezes, basta criar uma mera aparência de favorecimento ao Benfica, para que a mesma goze de um mediatismo e de um tempo de antena, susceptível de condicionar as "pessoas certas" e de influenciar os mais incautos. Veja-se a nuvem de fumo, criada pela caixa do Eusébio (que, por sinal, continua a ser vendida a um ritmo impressionante, muito obrigado! E atenção que, se aproxima o Natal, e os anti-benfiquistas vão adorar receber uma, para brincarem com ela e sentirem-se os maiores nas "conversas de café. Por isso, façam-lhes a vontade).


Analisemos, também, as vitórias nos últimos quatro campeonatos e o que foi dito e repetido pelos anti-benfiquistas, nos seus “púlpitos” semanais, para percebermos o que digo:

2004 – 2005 – Como vencemos? “Estorilgate! Por causa, do jogo com o Estoril no estádio do Algarve.” Algo que, vemos comummente acontecer em Portugal, sobretudo desde 2004, fruto da construção dos estádios que foram construídos para o Euro e que, quer queiramos quer não, é uma opção perfeitamente racional por parte das Direcções dos clubes mais pequenos.

2009 – 2010 – Como vencemos? “Graças, ao caso do túnel da Luz.” Ou seja, o castigo de atletas do Porto, que pelos mesmos factos foram condenados nos tribunais judiciais.

2013 – 2014 e 2014 – 2015 – Como vencemos? “Devido ao apoio da arbitragem, o colinho." Ou seja, como não existe nenhum facto ou erro escandaloso em nosso benefício, criou-se essa figura indeterminada sem qualquer substância material. Uma coisa posso garantir, nós nunca vencemos um campeonato fruto de um golo marcado em posição irregular no jogo decisivo ou com uma falta cometida fora da área, transformada em penalty, na última jornada, que para tornar as coisas mais interessantes, foi disputada contra um clube, cujo treinador e melhor jogador estavam contratados para a época seguinte e que iria jogar as competições europeias no nosso estádio…
Conclusão, nós nunca vencemos com mérito! Basta, ainda, verificarmos o “barulho” que surge sempre que existe um erro de arbitragem que nos favorece, em comparação com os erros que beneficiam os nossos rivais. Ainda esta semana, atente-se ao silêncio do Sporting, acerca dos erros cometidos por Jorge Sousa no domingo e na segunda-feira e o silêncio do Porto acerca dos erros que beneficiaram o Sporting, pelo menos contra o Tondela, o Estoril e o Arouca. Será que assistiríamos a este silêncio se tais lances favorecessem o Benfica? (A esta nem respondo, porque é uma pergunta de retórica).

http://hojenaoquejogaobenfica.blogspot.pt/2015/12/marcano-e-jorge-sousa-apresentam-dois.html

Esta é a realidade que nos permite ser o clube que reúne mais atenção mediática e que nos possibilita negócios como o da NOS. Pois, uns querem ver e vibrar com as vitórias e outros têm de estar sempre informados, ao detalhe, para analisar e escalpelizar os nossos sucessos ou vibrarem com os nossos insucessos.
Uma coisa é certa, em treze jogos deste campeonato, o brocardo popular, de que “os clubes grandes são sempre os mais beneficiados no campeonato” não se aplica ao Benfica. Não nos podem acusar de ter qualquer ponto a mais ou imerecido. E, ainda bem, porque sou a favor de uma Liga com o mínimo de erros e porque sei que, basta um jogo para que os anti-benfiquistas façam disso um cavalo de batalha e o estandarte de uma conspiração que tem como intuito tornar o Benfica tricampeão.



Relativamente, ao Rui Vitória não embarco nas críticas que põem em causa a sua competência, enquanto treinador e profissional. Uma coisa é ser um mau profissional, outra, completamente diferente é estar preparado para desempenhar a profissão sob todas as condições. Rui Vitória tem de ser um bom treinador de futebol. Caso contrário, não teria conseguido subir a pulso e com resultados (subidas de divisão, conquista da taça de portugal e qualificações para as competições europeias com uma equipa com orçamento baixíssimo e pejada de jovens) e, já este ano, com a qualificação para os oitavos de final da Champions. No entanto, a análise pessoal que faço é que, possivelmente, não estava preparado para assumir a responsabilidade de ser treinador do maior clube português e os desafios daí decorrentes que têm de ser superados, de forma que se possa conquistar uma prova de consistência, como é o campeonato. De nada serve termos o melhor ataque do campeonato e depois ficar em branco em vários desafios…
As dificuldades irrefragáveis da equipa nos jogos com equipas que jogam muito fechadas e que recorrem ao anti-jogo, algo que é recorrente no futebol português e, infelizmente, demasiado valorizado, são por demais evidentes. A derrota com o Arouca, o empate com a União e, por exemplo, a vitória suadíssima contra o Moreirense ilustram essas dificuldades. Este é um “problema” que o Rui Vitória e sua equipa técnica nunca tinham enfrentado nas suas carreiras, que acresce à pressão de vencer todos os jogos e de substituir um treinador com grandes competências técnicas, que vinha da conquista do bicampeonato e, que para piorar (algo que, não foi previsto pela Direcção) foi para o nosso rival, facto que tem como consequência a inevitabilidade das comparações. Paulo Fonseca, que agora novamente é elogiadíssimo, também falhou no Porto em condições similares. Falta de qualidade? Não. Impreparação para o desafio que lhe foi colocado? Naquele momento, sim.


Rui Vitória tem de aprender, evoluir e encontrar soluções rápidas para superar estes desafios, a sua continuidade no Benfica depende disso. O seu antecessor esteve três anos consecutivos sem ganhar o campeonato, mas manteve-se no seu posto, porque, apesar do insucesso nessas épocas (sempre possível em desporto), era visível que o desfecho poderia ter sido diferente. A qualidade demonstrada permitiu-lhe ganhar esse tempo e terminar um ciclo de forma vitoriosa, assente nas condições que o clube lhe proporcionou. O tempo conquista-se e o de Rui Vitória irá esgotar-se, com muita pena minha, se o que aconteceu com a União da Madeira ocorrer mais vezes até ao final da época.

A conclusão que retiro é a seguinte, infelizmente, nem todos os treinadores que vão para o Benfica, arriscam-se, para já, a ser campeões, mas, a caminhada do Jesus no Sporting demonstra também as razões que levaram a Direcção a mudar de rumo. É um grande treinador para o campeonato nacional, mas a luta pelo título de campeão tem custos muito altos, não conseguiu aceder à fase de grupos da Champions (algo que dificultou e muito o projecto do seu actual clube, apesar de ninguém o admitir para já), passou por dificuldades no grupo na Liga Europa (fase da competição que, por exemplo, para o Sporting de Braga foi um passeio e com uma derrota por 3- 0, "patrocinada" por um colosso albanês), mais uma vez, foi eliminado nos oitavos-de-final da taça e, novamente, pelo seu némesis o Braga e continua com uma dificuldade em aproveitar os jovens talentos dos clubes, veja-se que o Sporting pedia 10 milhões de euros pelo Carlos Mané e que Tobias Figueiredo era titular da equipa A e que estes, neste momento, nem sequer são opção, e a aposta em Gelson e Matheus, apenas ocorre por absoluta necessidade, caso tivesse Carrillo tudo seria diferente e, a partir de Janeiro, com Bruno César e Schelloto a utilização dos dois jovens irá diminuir drasticamente.
Não tenho dúvidas que Jesus é um grande treinador e que estaríamos melhor, esta época, no campeonato com ele ao leme da equipa, mas, uma coisa é certa, pode não ser fácil, mas é possível encontrarmos treinador melhor tecnicamente e com maior capacidade para potenciar o novo paradigma do clube, sem que haja sacrifício dos resultados. Afinal, mesmo quando estava no Benfica, vários treinadores foram capazes de lhe proporcionar brilhantes banhos tácticos…



P.S: Infelizmente, a máxima que se aplicava ao Benfica nos anos 70, actualmente, com foi apanágio nas últimas décadas, continua a aplicar-se ao Porto. Só assim se explica, que o Lopetegui, que nem já os próprios adeptos ilude, se arrisque a ser campeão.





Se bem que, alguém que considera não ser afortunado nos sorteios, depois jogar com o Varzim, o Angrense e o Feirense para a taça de Portugal, também tem toda a legitimidade para considerar que o Porto é uma vítima das arbitragens e que essa é a génese do seu insucesso...

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Marcano e Jorge Sousa: "Deve ser do nevoeiro!"






     Não vou realçar, uma vez mais, que o Jorge Sousa faz parte da Associação de Futebol do Porto e, segundo consta, é adepto do Porto. Desta vez, os erros são desculpáveis, porque estava muito "nevoeiro".
     A possibilidade do Tri é um pesadelo para muita gente...



Ou então, como tão bem realçou o Fenómeno, também pode ter sido do cansaço!!

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Aos meus amigos sportinguistas

Quando dizem que têm um ponta-de-lança espectacular, estão enganados. Vocês têm um ponta-de-lança (bastante) caceteiro e tosco, que por acaso é um razoável finalizador. Por exemplo, já devem ter percebido que o Slimani, a não ser quando se engana, precisa de 10 metros para dominar a bola. Podem dizer que isso é TONELada de raça, mas não é, com certeza, uma TONELada de técnica e qualidade.

Além disso, queria que vissem o primeiro golo do Glorioso ontem, para perceberem o que é um ponta-de-lança, quando quiserem comparar o Slimani com o Mitroglou. Estão a ver, é nestas alturas em que não precisamos de treinador.



sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Renato Sanches?? Era demasiado fácil perceber...


      Era demasiado fácil perceber onde iria chegar o maior talento da formação do Benfica. Os elogios são mais que merecidos e a ascensão à equipa principal, acontece no primeiro ano de júnior... Felizmente, agora, começa a ser o unânime reconhecer o que era uma evidência irrefragável!

http://hojenaoquejogaobenfica.blogspot.pt/2014/09/martin-degaard-que-talento.html

      Sinceramente, confio que, esta época, demos um passo atrás, para darmos dois em frente, a médio prazo. Vêm ai muita qualidade e quantidade. Qualidade e quantidade como nunca existiu no futebol português e com mística Benfiquista. Mas, claro,se me perguntarem, tinha preferido não ter dado nenhum passo atrás e, apenas, necessitar de dar um a diante... 

UEFA Youth League

Grupo C

ClubesJVEDGMGSDGPts
SL Benfica SL Benfica55002822615
Club Atlético de Madrid Club Atlético de Madrid54012442012
Galatasaray AŞ Galatasaray AŞ5104520-153
FC Astana FC Astana5005132-310


 











segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Vieira

Os dois grandes da Península Ibérica, Benfica e Real Madrid, foram buscar para treinador dois tipos anafados que não percebem nada da poda. Dois tipos que sofreram derrotas colossais contra os seus adversários em casa (3 contra o sporting de Lisboa, 4 contra o Barcelona). 

Meus amigos, não me venham com a desculpa dos jogadores. São mais fracos que antigamente, mas são, no mínimo, do nível do ano passado. Há dois jogadores que eram titulares de caras no Benfica - William Carvalho e João Mário. Vá, e o Jefferson. De resto, os do Benfica são no mínimo tão bons ou melhores. Sim, a estrela Adrien é uma barata tonta, e a estrela Slimani só é estrela se considerarmos que um requisito para jogar futebol é precisar de 10 metros para receber uma bola.

Até podemos ver o exemplo do Real Madrid. Acham que o plantel é pior que o do Barcelona? As mãozinhas é que são outras.

Vieira, o RAP já dizia em Julho que tinha sido um erro colossal. Ele próprio admite que percebe tanto de bola como tu. Está é na altura de seres inteligente como ele. É verdade, não te peço para seres benfiquista, só te peço para seres inteligente.


segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Como acham que se sente um jogador...

... que, sendo internacional A pelo seu país, se vê ultrapassado por um jogador da equipa B que nem sequer é titular.

Agora imaginem que esse internacional joga numa determinada posição, aquela que veio a ser ocupada pelo jogador da equipa B, e que esse jogador da equipa B joga numa posição completamente diferente.

Agora imaginem que são médicos. Mas que quem vai tratar dos pacientes é a administrativa da recepção.

Acho que percebem como se sente o médico (André Almeida) e como se sente o paciente (Eu e vocês, adeptos do Benfica).

Ter um avançado (ainda por cima não titular!) da equipa B a tirar lugar o lugar de lateral direito a um internacional A pela selecção é apenas a ultima invenção do Rui Vitória.

Agora reparem que o Silvio foi desviado para a esquerda para outro internacional A (Eliseu) ficar no banco a ver jogar o Clésio, e tentem colocar-se na cabeça do nosso treinador. Eu não consigo.

Adenda: Ainda há um internacional sub-21 sueco (Lindelof).


quinta-feira, 29 de outubro de 2015

«Na estrutura só Rui Costa percebe de futebol»

E como eu não me admiro disso, mesmo sendo o Judas a dizer.

Estava a comentar com o Vitor Baptista, como é estranho que os jogadores ainda estejam com o Rui Vitória. Deve ser um gajo mesmo porreiro, se calhar até leva umas meninas para o balneário para animar a malta.

Se bem que o Cristante não deve poder comer nada, já teve a sua dose de picanha.

PS. Ainda estou para perceber o que leva o Rui Costa a tornar-se um subalterno do Vieira...

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Este Benfica de Rui Vitória

Alguém expressou, melhor que eu, o que é esta calamidade que vemos todas as semanas (Nuno, Entre Dez):

O Benfica de Rui Vitória é, até à data, pouco mais do que um conjunto de jogadores espalhados num campo de futebol. A conclusão não é tardia nem motivada pelo descalabro do último fim-de-semana; em abono da verdade, foi o que tem vido a ser, jogo após jogo, desde o início do campeonato. Os resultados e a confiança que eles trazem mascararam essa realidade, criando a ilusão de que a equipa estava a crescer enquanto equipa. Não estava. O Benfica de Rui Vitória, até à data, não cresceu rigorosamente nada. Luís Freitas Lobo, por exemplo, acredita que este Benfica, em comparação com o de Jesus, é mais compacto e equilibrado, joga com as linhas mais juntas e é capaz, por isso mesmo, de jogar de forma mais pausada. É inacreditável que se possa sequer acreditar nisso. Basta ver 10 minutos de um jogo do Benfica de Rui Vitória para se perceber que o portador da bola é invariavelmente deixado ao abandono, que os homens sem bola raramente fazem movimentos de aproximação, que os alas e os avançados pouco ou nada são encorajados a invadir espaços interiores ou a baixar, que a tendência é para ocupar o máximo de espaço no terreno de jogo e que a inferioridade numérica no meio-campo, decorrente da insistência num modelo de jogo que requer necessariamente formas de compensar essa inferioridade é sempre, mas sempre, perniciosa para a equipa. O Benfica de Rui Vitória, até à data, é uma perfeita nulidade enquanto equipa.

Dois ou três resultados gordos (um deles construído nos últimos 20 minutos) e uma vitória inesperada em Madrid, conquistada às custas de 90 minutos a defender e de um Júlio César intransponível, não deveriam ser suficientes para se tirarem ilações positivas deste Benfica. Como sempre, as pessoas fiam-se nos resultados, e depois acontecem coisas que não conseguem explicar. A derrota humilhante deste fim-de-semana, uma das mais pesadas de sempre do Benfica em casa, não foi surpreendente, porém, para quem vê o que é importante ver. O Sporting ganhou com justiça, sem sequer fazer um jogo extraordinário. Foi eficaz e soube potenciar os erros do modelo do Benfica. Mas, mesmo que o não fosse, bastaria ocupar relativamente bem os espaços, coisa que as equipas de Jesus costumam saber fazer, para ter o domínio relativo do jogo. Tal como na Supertaça, o Sporting foi superior ao Benfica essencialmente porque foi uma equipa mais equilibrada em cada momento do jogo. Isso é o princípio de tudo. Sem ter sequer feito da troca de bola um modo de desposicionar o Benfica, bastou ao Sporting esperar que os encarnados, tendo que assumir as despesas do jogo, se desorganizassem por si. E assim foi. O Benfica foi sempre uma equipa desorganizada, tanto a defender como a atacar; teve sempre menos gente na zona da bola; nunca se preocupou com os apoios recuados ou com os apoios laterais, deixando o portador da bola sem outra solução que não o apoio vertical; defendeu sempre demasiados metros em largura quando a bola entrava nas alas, o que criava espaços excessivos entre os jogadores  (veja-se o espaço entre os centrais no segundo golo, potenciado por uma linha defensiva demasiado centrada quando a bola está encostada à linha esquerda); etc..

Para dar um exemplo do que é o Benfica de Rui Vitória, note-se a falta de rede no meio-campo, no terceiro golo do Sporting: o médio que incia a jogada não tem atrás de si nenhum outro médio, a dar um apoio recuado e a oferecer a cobertura numa eventual perda de bola, assim como não tem ninguém à sua direita, em cerca de quarenta metros, a não ser o lateral, que procura abrir. Assim é muito fácil ao adversário prever a opção do portador da bola. A antecipação que origina a perda de bola não é demérito do portador  nem do receptor, nem sequer é mérito do defesa sportinguista; é demérito colectivo do Benfica. O principal motivo da perda da bola é a desorganização colectiva que torna fácil ao adversário ler o lance. A agravar a situação, os centrais estão muito longe do portador da bola e do meio-campo, ficando, por conseguinte, incapacitados de reagir rapidamente à perda. No lance do terceiro golo, as pessoas vão crucificar o médio que cometeu a imprudência de fazer um passe à queima, ou o atacante que teve o desmazelo de se deixar antecipar, ou até mesmo o lateral direito, Sílvio, que demorou a reocupar a sua posição depois de a equipa ficar sem a bola, apesar de ser o único que, no momento ofensivo, se preocupou em dar uma solução de passe ao portador da bola (o que o deixou  naturalmente em condições deficientes para recuperar rapidamente). As pessoas vão crucificar qualquer um destes três, ou mesmo qualquer um dos outros jogadores que estavam em campo, pois não são capazes de perceber que um jogador joga aquilo que o colectivo lhe permitir jogar. As pessoas vão crucificar os jogadores, mas o principal responsável é Rui Vitória. O Benfica de Rui Vitória é, até à data, aquilo que foi exemplarmente neste jogo: pouco mais que nada.


P.S. O que pude ver do arranque da época fez-me antecipar, desde muito cedo e sem grandes hesitações, que o Sporting era o principal candidato ao título, este ano. Ainda que essa convicção tenha ficado enfraquecida depois do afastamento de Carrillo, possivelmente o melhor jogador do arranque de temporada leonino, creio que continuo a subscrever esse prognóstico.

terça-feira, 27 de outubro de 2015

O melhor número 8 do Benfica!

     

             O melhor número 8 do Benfica é, já, e apenas com dezoito anos, este menino. Apostar num jogador que, ainda, é júnior é arriscado? Sim, é. Mas face às opções que temos para a posição e sobretudo no campeonato nacional, este miúdo representa uma mais valia. "Sem medo"!


segunda-feira, 26 de outubro de 2015

"Se fosse fácil não era para mim"

Estive a ver o jogo com outro benfiquista e um sportinguista, e, quando acabou, estavam todos curiosos com o que o Rui Vitória iria dizer, e se se iria demitir. A frase que coloquei no título, que previ que o nosso treinador iria dizer, foi mesmo o que Rui Vitória disse. "Até nisto ele é um lugar comum".

Aparte de falar de um gajo porreiro travestido de Treinador de Futebol (sinceramente começo a achar que não vale mesmo a pena), continuo sem compreender à base da lógica a contratação de Rui Vitória e a destruição de um plantel bi-campeão.

Mas percebo à luz de outros interesses.

Percebo que tenha de jogar o Jimenez 18M€, em vez do Mitroglou, e para isso precisamos de um treinador que obedeça.

Percebo que se contrate o Jimenez 18M€ em vez do nº 8 que tanto precisávamos, ou não fosse Jorge Mendes o seu empresário

Percebo que se tente mostrar que a famosa estrutura era muito boa, quando afinal se calhar tinha tanto mérito como o Judas.

Percebo a contratação de um treinador fraco, mas fantoche.

Percebo que se inventem processos de 14M€ porque sim, e quem vier a seguir que pague as custas judiciais.

Percebo que digam agora que a culpa é do Jonas, do Luisão, do velhinho da paragem, do Eliseu, do André Almeida, do Sílvio. Sim sim, de repente, desaprenderam de jogar. Ou isso, ou se calhar a culpa é de quem os comanda.

Portanto, a culpa é do Rui Vitória? Também. E quem comanda o Rui Vitória? Pois é... Vieira.

PS. Ao saber que dizem que "É um dos lemas que temos, é sermos uma equipa contra 11 jogadores, é um dos nossos lemas internos." ainda me dói mais o coração...

domingo, 18 de outubro de 2015

Muito mais que futebol...




         
     

          Duas vitórias contra os nossos maiores rivais. Dois primeiros lugares nos respectivos campeonatos.

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Força Nélson sem Medo!



         Muito azar mesmo!Estes dois meses têm sido uma completa montanha-russa. Titularidade e afirmação no melhor clube português, primeira internacionalização e, agora, lesão com alguma gravidade. Força miúdo! O melhor elogio que te podemos fazer, é dizer que vamos sentir a tua falta na equipa. 








     P.S:    Espero que seja o André Almeida a assumir a lateral direita, enquanto o Nélson estiver de fora.

domingo, 11 de outubro de 2015

Bruno de Carvalho, candidato a vencer este prémio?



                Tendo em consideração as declarações em catadupa e, sobretudo, o seu teor, o Sr. Bruno de Carvalho está a conquistar, por mérito próprio, a posição de candidato ao Prémio Capitão Moura 2015. Veremos se conseguirá vencer, porque tem adversários de "peso"...










sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Quando a melhor, fica ainda melhor.



         A Premier League, exclusivo BTV, já era a melhor liga do mundo. Mas agora, para mim, ganha mais um motivo de interesse, os reds contrataram, finalmente, um treinador de nível mundial. Espectáculo garantido!




          Talvez, este seja o retorno do Liverpool aos títulos. Klopp soube esperar pelo que queria. E um homem movido pela certeza das suas opções nunca deve ser menosprezado! Mais um interesse para os fins-de-semana de BTV.

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Vamos manter o foco no primordial!



          Semana de folclore e lamaçal. Alimentada por tochas e incendiários. Confesso que, fico feliz por os benfiquistas serem mais exigentes com o comportamento dos nossos adeptos e sócios, do que outros com as suas, mais importantes, figuras institucionais.


          Mas não olvidemos o essencial. Em primeiro lugar, o nosso último jogo e exibição, que se pautou por uma vitória num terreno complicado, que muito prestigiou o futebol português, e, em segundo lugar, a afirmação inequívoca de dois jovens da formação: Nélson Semedo e Gonçalo Guedes.



              Agora é tempo de focar no primordial e continuar a evoluir nos resultados e exibições! Rumo ao 35.º!! 







     

domingo, 27 de setembro de 2015

A novidade futebolística da semana!



          Na Liga NOS, não existiu qualquer novidade a salientar. O Benfica goleou na Luz, o Sporting perdeu pontos e queixou-se da arbitragem e o Lopetegui demonstrou, uma vez mais, a sua maior qualidade: esmurrar bancos de suplentes.
          A grande novidade foi mesmo este golaço do Bebé!! Quem diria...



             Que venha a Champions!


terça-feira, 22 de setembro de 2015

Ao cuidado de Rui Vitória: 4-4-2 Losango

Caro Rui

Já se percebeu que não percebes assim muito da poda. Ainda assim peço-te que contemples uma hipótese: o 4-4-2 Losango. Repara só que podias tirar o melhor dos nossos dois melhores jogadores. Estavam perto um do outro para a triangulações que promoves quando já estamos a ganhar. Acresce que, se calhar até podias aproveitar outro (djuricic). E, se fosses assim um pouco para o medroso, ainda outro! (Fejsa)

Eu sei, limitava um tudo ou nada os cruzamentos que tanto gostas. Mas, no fundo, se quisesses, podias dar a linha aos nossos laterais, e ainda tinhas a largura.

Vê lá, pensa na poda.

GR: Júlio César
DD: Nelson Semedo
DC: Luisão
DC: Jardel / Lisandro
DE: Eliseu
MD: Samaris / Fejsa
MID: G. Guedes / Pizzi / Samaris
MIE: Gaitan / Talisca / Pizzi / Samaris
MOC: Djuricic / Gaitan
AV: Jonas
AV: Mitrogolo

PS. Estou muito surpreendido com o Mitroglou. Muito melhor que a encomenda.

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Quem são os Jonas desta época?


      Estão dois jogadores sem clube, que poderiam ser os Jonas desta temporada e que têm qualidade e experiência para entrar de caras no onze do Benfica. Gourcuff e Ilsinho! Gourcuff poderia, nesta fase da carreira, fazer o lugar de Pizzi e Ilsinho é um extremo-direito de grande qualidade.




           «Rui Vitória vai ter as mesmas condições que outros tiveram»


                                           




                                           
 

domingo, 23 de agosto de 2015

domingo, 16 de agosto de 2015

Daequan Cook e o 35.º!


       Enquanto não começa o primeiro jogo do campeonato, apreciemos o novo jogador de basquetebol do Benfica: Daequan Cook! 6 épocas na NBA, finalista da competição e vencedor do concurso de três pontos. Este ano lá terei de ver uns joguinhos. :)


      Oiçam bem o que afirma o comentador durante o vídeo. Seja nos EUA ou em Portugal, as coisas que os comentadores dizem, a maioria das vezes, não se escrevem!

http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=565486

     Por muito que não acreditem e, por muito, que queiram que também não acreditemos, RUMO ao 35.º! Rumo ao Tri! E, já agora, rumo ao penta em basquetebol!



quinta-feira, 13 de agosto de 2015

O comentário desportivo mais acertado dos últimos anos!





         Quem conhece sportinguistas sabe que é verdade! E quando perderem, claro que, a culpa vai ser da equipa de arbitragem...



terça-feira, 11 de agosto de 2015

A culpa a quem a tem

O Rui Vitória deve ser um gajo porreiro. Tem umas noções de futebol, mete a equipa a jogar e tal, deve ser capaz de dar um bom balneário. Quem não olha para um bezuntão destes com carinho que atire a primeira pedra.

A questão é que gajos porreiros há muitos, treinadores de futebol nem tanto. Quer dizer, em termos de comparação já começo a achar que o Loropegui é treinador de futebol, o que torna as coisas ainda mais graves. Sim, porque nem o Lopinegui se lembraria de colocar Samaris e Fejsa a par no meio campo. Acho que só mesmo um José Mota e, pelos vistos, o Rui.

Eu achava que o treinador ideal para o Glorioso era o Vitor Pereira, como expliquei aqui. Ok, não queriam ir buscá-lo, o Marco Silva servia. Agora, o Rui Vitória nunca mostrou futebol que pudesse indiciar ser uma boa escolha para o Benfica. Não fez um trabalho meritório num clube intermédio, como o JJ no Braga ou o Marco Silva no Sporting. Tem muito mérito em conseguir o que conseguiu com um dos orçamentos mais baixos da liga, mas isso não o torna automaticamente apto para treinar o Benfica. Ao contrário do que costumam fazer crer, eu não preciso de um treinador que faça omeletes sem ovos, preciso de um treinador que saiba fazer omeletes em condições para eu comer e ser campeão!

Não obstante, o Rui é o menos culpado de tudo isto. Quem é que se lembrou de despedir um treinador bi-campeão? Quem é que se lembrou de contratar o Rui? Quem é que se lembrou de desinvestir brutalmente no futebol porque está atrapalhado nos seus negócios ou porque tem negócios obscuros com o Jorge Mendes?

Pois é Vieira, a culpa é tua. Foste tu que o contrataste. Foste tu que vendeste o Bernardo Silva e os restantes. És tu que tens negócios muito estranhos com o Jorge Mendes e que, fala-se, vais comprar um pé-frio mexicano por 9 M€, como já fizeste com Pizzi e Roberto. Foste tu que confundiste os teus negócios com os do Benfica.

Ainda vais a tempo de alterar o rumo... mas atenção!!! Parece-me que já tens alguém atrás das tuas costas pronto a tomar-te o lugar. Olha que se não o fizeres, vais perder muito mais do que a Presidência, porque a vingança serve-se fria, e nem eu nem nenhum benfiquista vai defender-te, se continuares sem defender o Benfica até à morte.




segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Calma!!



        Em primeiro lugar, devo confessar que estive no estádio e assisti, in loco, ao que não percepcionava há seis anos. O Sporting venceu o jogo, jogou melhor e mereceu vencer o Maior Clube português.
        Em segundo lugar, ontem o nosso ex-treinador conseguiu mostrar tudo o que é: um excelente treinador, com uma personalidade e um comportamento público deploráveis. Aliás, estes dois factos não deveriam surpreender nenhum benfiquista. Sob o seu comando vencemos jogos em catadupa, fizemos excelentes exibições e marcávamos golos, praticamente, em todos os jogos. Ao mesmo tempo, que nos habituamos a ouvir declarações estapafúrdias e ao adensar de conflitos desnecessários com adversários, colegas de profissão, agentes da autoridade e até elementos do seu próprio banco (nunca me irei esquecer a atitude com o Shéu, em White Hart Lane, tal como nunca me irei olvidar a qualidade que demonstramos nesse jogo, o melhor que vi ao vivo).
         Estou à vontade para opinar sobre isto, porque apesar dos seus defeitos sempre defendi a sua continuidade. Mesmo depois, de ficarmos a mais de uma dezena de pontos do Porto do Vilas Boas, termos levado 5 no Dragão, perdido uma meia-final europeia com o Braga e perder dois campeonatos para o Porto do Vítor Pereira. Mas eu sou do Sport Lisboa Benfica, não sou sócio ou apoiante dessa nova entidade, o JJ Clube de Portugal! E, portanto, o passado não interessa.
        Neste momento, a realidade é esta: o Porto continua com um orçamento muito superior ao nosso e o Sporting tem um treinador que sabe, melhor que ninguém, o que é necessário para vencer em Portugal e que travou a incompetência do presidente do seu clube (a inabilidade do miúdo foi confirmada pelo novo messias de Alvalade e a sua lista de dispensas: é verdade, onde anda o mini messi? ou o Lampard dos balcãs? Mais um ano de bdc como principal decisor do futebol do Sporting e seria o vosso fim amigos lagartos). Concluindo, existem três candidatos ao título! Thank you, Captains Obvious!
        Relativamente ao Benfica, o Rui Vitória é o elo mais fraco e, portanto, o primeiro a cair caso os resultados e a performance da equipa não melhorem (e muito) em comparação com o que se viu no estádio do Algarve. Mas antes de flagelarem e deceparem (pela ordem que preferirem) o homem, façamos um exercício de memória. Lembram-se da pré-época passada? Lembram-se dos resultados? Das exibições? Do jogo da supertaça? Pois, aquelas goleadas sucessivas que sofremos e uma vitória nos penalties contra o colosso, Rio Ave…
        Eu não vou colocar, pelo menos para já, o ónus dos possíveis insucessos na, suposta, falta de aptidão do Rui Vitória. O treinador não tem qualquer responsabilidade da pré-época ser planeada tendo por base, apenas, critérios financeiros e económicos (tal como já tinha acontecido na época passada…) e também não lhe podem imputar a indisponibilidade de quatro titulares indiscutíveis da época transacta (dois porque foram transferidos e outros dois porque estão lesionados, sendo que, as ausências não foram supridas devidamente e atempadamente). A direcção não pode, nem deve sacudir a água do capote, relativamente ao que ocorreu no estádio do Algarve e tem de compreender isso, até porque para o ano estão agendadas eleições e o escrutínio dos sócios é sempre impiedoso.
        Mas se tudo isto é verdade, perante tanto histerismo e descrença só me apetece dizer: CALMA CARALH*! Não me irritem em Agosto! Parem, estou a meio da silly season… lol
        Foi só um jogo oficial, uma supertaça. Sabem quem também ganhou uma Supertaça? O Paulo Fonseca no Porto. Sinceramente, o mais provável será esta derrota servir para a “estrutura” (essa nova expressão do léxico "futebolês") compreender as limitações do plantel e até ao final do mercado trabalhar afincadamente no reforço efectivo do mesmo. Com, pelo menos, um lateral, um médio centro e um extremo, todos de qualidade inequívoca e experiência, sem que exista qualquer saída adicional ou seja, sem que saía o Gaitán. E, nesse momento, no final desta época, até poderemos vir a olhar para esta derrota como uma benção disfarçada… Sim, porque caso o inicio da época passada não tivesse sido tão desastroso: não teríamos tido nem Jonas, nem Júlio César, nem Samaris e nem Enzo (até Janeiro)…

Calma, olhem para o escudo que temos na camisola, nós somos os Bicampeões! Rumo ao 35.º!

Domingo estou na Luz!


quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Mitroglou e o sector atacante!



         A minha preferência era o Soldado, mas esta é uma grande contratação, para entrar de caras no onze e com capacidade para fazer uma dupla excelente com o mestre Jonas! Não tenho dúvidas, que Mitroglou é superior aos jogadores que os nossos rivais têm à disposição para a posição de ponta-de-lança.


                                    
     

       Espero que não haja mais nenhuma contratação para o sector avançado do Benfica, ao contrário do que consta na comunicação social. Estamos bem servidos com Jonas e Mitroglou, como opções de primeira linha, e com Jonathan e NO como alternativas de qualidade.

        Rumo ao 35.º!

domingo, 2 de agosto de 2015

Soldado/Jonas a.k.a equipa de demolição



            Por ora, não passa de um rumor, mas a possibilidade da aquisição do ponta de lança, Roberto Soldado, seria uma noticia excelente para o Benfica. Seria a garantia de golos em catadupa e de contarmos com uma dupla de ataque rotinada e com um óptimo conhecimento mútuo.



              Atenção, ao número sete que assiste o Soldado 75% das vezes,,,




             No Valência e na exigente Liga Espanhol, em duas épocas e meia, esta dupla valeu a módica quantia de 113 golos! De todas as possibilidades que têm sido apontadas ao nosso Clube, para o reforço do nosso ataque, não tenho qualquer pejo em afirmar, que esta é a minha preferida!


     

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Gaitán, mais palavras para quê?


        Mais palavras para quê?




         Eu prefiro ver os milhões a entrar através das vitórias e do mérito desportivo. Basta atender ao valor pecuniário que se recebe pela passagem aos oitavos de final da Champions, para perceber que a manutenção do nosso melhor jogador é importantíssima.





sexta-feira, 17 de julho de 2015

Ponto de situação

Chegados a esta fase, diria que está a ser uma pré-época bastante atípica. Vamos lá analisar algumas notícias que têm surgido:

Falta de contratações do Benfica - à parte dos 10 que foram anunciados de uma só vez (lol), não veio nenhum autocarro de jogadores. Não me parece mal, que para fazer número já temos o Paulo Lopes, que até é um gajo porreiro.

Trutas que ainda não vieram - se não estão a contratar camiões para poder trazer 2 ou 3 jogadores de futebol a sério, um aplauso a quem teve esta ideia peregrina! Acho que nunca ninguém se tinha lembrado disso! Um prémio Nobel para esse génio!! (espero que já tenham percebido que é ironia...)  Um médio 8, um defesa esquerdo e, quem sabe, um central promessa para começar a pensar na reforma do nosso capitão.

Maxi e João Pereira - coloco ambos no mesmo pacote porque são laterais que já passaram pela melhor escola de laterais de Portugal. Um foi símbolo pela raça, outro por ser uma flor no deserto nos tempos em que a formação do Glorioso nos presenteava com craques tipo André Carvalhas e João Vilela. Um mostra o desespero da malta lá de cima, outro mostra o amor que Jesus tem pela formação. Os dois são razoáveis, mas podemos bem passar sem eles.

Ruben Amorim - ISTO SIM É GRAVE!! Estão a dispensar os SIMBOLOS DO BENFICA! Está tudo preocupado com o Maxi para deixar sair um Benfiquista de alma e com tantos anos de clube. Shame on you

Jogadores - Há vários jogadores em quem tenho esperança, alguns deles por achar que foram embirrações do JJ - Nelson Oliveira, Jonathan Rodriguez, João Teixeira - e outros por estar na altura de explodirem - Djuricic, Carcela, Gonçalo Guedes, Nuno Santos, Nelson Semedo. Depois, ainda temos a vantagem de não começar com um Bebé da vida.

Carrega!!

quarta-feira, 15 de julho de 2015

A minha vénia a um dos melhores, pela qualidade e pelo carácter!



          Porque não é qualquer um, que acaba a carreira e continua um ídolo em todos os locais que passa; deixo aqui a minha vénia a um Senhor e um Mago do futebol! Pablo Aimar!





                                         
       

               Um dia vou poder dizer: "Filho, eu vi o Aimar jogar na Luz!"
             

P.S:  Adiós!


quarta-feira, 8 de julho de 2015

Como se explica o investimento em Casillas e outros veteranos famosos?



                 A explicação é mais simples do que parece. De facto, o Porto tinha para a baliza: Helton, Andrés Fernandez, Ricardo, Gudino. E Casillas, neste momento, desportivamente não é uma mais valia substancial, relativamente ao Helton.
                 Então como se explica este investimento astronómico?




                Basicamente, porque, não obstante, a pré-época ter iniciado, só o Sport Lisboa e Benfica e a sua marca conseguiu resolver o problema da cessação dos vínculos de "sponsorização" do BES e da PT.
                Os nossos rivais "foram bater à porta" das principais empresas nacionais, mas estas rejeitaram qualquer possibilidade de patrocínio isolado a qualquer dos nossos adversários. Pois, apenas admitem ser sponsors dos três emblemas.

Reality check 1: Não convém antagonizar a maioria dos portugueses/benfiquistas.

Reality Check 2: As possibilidades estrangeiras, até ao momento, revelaram, apenas a verdadeira dimensão dos nossos rivais (apenas nacional) e, portanto, os valores apresentados foram sempre inferiores aos anteriormente praticados pelo BES e PT.
               

                O Porto vai resolver a sua falta de dimensão internacional, com a contratação de Casillas e, talvez, de Drogba. Porque estes jogadores são superiores à "marca" fcp. Os nossos rivais de Lisboa, não sei como vão resolver a questão, porque o novo "dono" do Clube pode ser o mestre da táctica, mas de "sponsorização" percebe pouco...


                Sem o Benfica a alavancar: é tramado "pequenotes"!